triângulo sobre a pista indicando uma situação de risco

Algumas ações tomadas no nosso dia a dia como motorista podem evitar incidentes, acidentes e até mesmo diminuir as situações de risco. Saiba mais!

Direção defensiva e direção corretiva. Já ouviu falar delas? Bem, elas são comumente confundidas, mas seus significados são bem diferentes! Os dois tipos de direção são fundamentais no dia a dia do motorista, afinal, ele precisa saber “se proteger” quando está na conduta.

Desta forma, entende-se que na direção defensiva o condutor busca por meio de uma série de ações tentar evitar que acidentes ocorram. Já na direção corretiva, ele busca remediar situações que não foram previstas e que não foram possíveis de serem evitadas com a direção defensiva.

Para que você saiba como agir nessas condições, trouxemos algumas situações de risco corriqueiras do dia a dia e quais ações podem ser tomadas para que os riscos de acidentes diminuam. Confira!

 

Condições adversas

Podem ser definidas condições adversas todos os fatores que de alguma forma podem prejudicar o real desempenho na condução de um veículo e que possibilitem ocasionar acidentes de trânsito.

Estas condições adversas podem surgir separadamente, contudo, na grande maioria das vezes, elas podem aparecer combinadas, tornando os riscos elevados.

Para que você tome os devidos cuidados e tente evitar essas situações, é imprescindível que você as conheça. Elas estão relacionadas ao:

  • Condutor;
  • Veículo;
  • Vias;
  • Trânsito;
  • Luz;
  • Tempo.

 

Fatores de risco que podem ocasionar acidentes

Alguns fatores podem influenciar ou até mesmo ser a causa de acidentes no trânsito, como por exemplo:

  • Não utilizar capacete;
  • Dirigir em velocidade superior à permitida no local;
  • Conduzir sob a influência de álcool ou outra substância psicoativa;
  • Conduzir qualquer veículo sem a permissão necessária;
  • Utilizar veículos para efetuar manobras perigosas;
  • Ultrapassar ou transitar pela contramão;
  • Transitar com veículos sobre calçadas, passeios, passarelas, entre outros;
  • Ultrapassar pela direita, exceto quando o veículo da frente estiver na faixa apropriada e der final que vai entrar à esquerda;
  • Não der passagem a pedestre e veículos não motorizados;
  • Conduzir veículos sem equipamentos obrigatórios, estando inoperantes ou ineficientes e em desacordo com o estabelecido pela legislação;
  • Circular com veículos com vazamentos de combustível ou lubrificantes, que possam danificar as vias, instalações ou equipamentos e que possam ocasionar riscos de acidentes;
  • Conduzir veículos sem capacidade mental afetada, usando calçados inadequados, com apenas uma mão ou utilizando equipamentos como fones e celulares, que podem comprometer a atenção.

 

Estas infrações prevêem inúmeras penalidades e crimes de trânsito, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro. Além disso, em alguns casos, o condutor ainda pode ter sua licença para dirigir suspensa, sob pena de multa e processos judiciais.

 

Como dirigir em situações de risco que envolvem a via de trânsito

As vias são as superfícies onde os veículos, pessoas e animais transitam, sendo composta por pista, calçada, acostamentos e canteiros. Parece óbvio, mas para evitar acidentes, o condutor precisa se adaptar às condições da via por onde transita!

Além disso, a primeira regra para evitar acidentes é respeitar os limites de velocidade impostos em cada via. A seguir, listamos algumas das situações que são mais comuns presenciarmos em vias e uma dica simples de como evitar situações de risco.

 

Vias urbanas e rodovias

Em vias urbanas o trânsito é mais lento, diante disso, é necessário redobrar a atenção, ficar atento às sinalizações e respeitar as preferências. No entanto, as rodovias possuem limites maiores de velocidade. 

Contudo, em ambas as vias, a dica é ficar atento e não ultrapassar em lugares proibidos. Além disso, ficar atento às mudanças bruscas de velocidades e manter uma distância segura do veículo da frente é fundamental. 

 

Curvas

Parece tão simples realizar uma curva, não é mesmo? Mas elas são extremamente perigosas, pois podem possuir aclives, declives, serem “pendidas” ou ainda “fechadas”. 

Portanto, diminuir a velocidade com antecedência, utilizando o freio e reduzindo a marcha antes de entrar na curva é uma dica de ouro! Outra dica, é fazer a curva com movimentos suaves e ir acelerando gradativamente, respeitando sempre os limites de velocidade.

 

Aclives

Os aclives são, de certa forma, tranquilos. É necessário transitar com marcha correta engatada para que o veículo mantenha velocidade compatível com a via. No entanto, fique atento ao veículo da frente, a possíveis “paradas bruscas” e mantenha sempre distância segura. 

Quando o trânsito voltar a andar, tome cuidado ao arrancar. Treine sempre que possível a arrancada – controle entre embreagem e acelerador – para que o seu veículo não vá muito para trás e acabe batendo no que está depois de você.

 

Declives

Ao avistar um declive acentuado, antes de começar a descer, teste os freios e mantenha a marcha reduzida engatada durante a descida. Além disso, nunca desligue o motor! Com ele desligado, os freios podem não funcionar corretamente e o veículo pode atingir velocidades excessivas!

 

Estreitamento de pista, pontes e túneis

Nestes casos redobre a atenção: mantenha a velocidade segura e a distância dos veículos da frente. Em pontes, somente ultrapasse se tiver sinalização e não estacione ou pare sobre o local!

Quando se aproximar de túneis, acenda os faróis baixos e nunca pare e/ou estacione dentro dele. Além disso, em caso de problemas nestes locais, procure parar na pista à direita, ligue o pisca alerta, fique em um local seguro fora do veículo e instale o triângulo de sinalização de emergência.

 

Cruzamentos

Nos cruzamentos há constantes alterações de fluxo, aumentando assim situações de risco com colisões e atropelamentos. Ao se aproximar de um cruzamento, redobre a atenção, reduza a velocidade e respeite a sinalização.

Contudo, se uma ou mais sinalização forem ausentes, valem algumas regras básicas:

  • A preferência de passagem é do veículo de se aproxima pela direita do cruzamento;
  • Pare e observe se é possível atravessar, e só então movimente-se;
  • Em rotatórias, a preferência sempre é do veículo que já estiver transitando nela.

Em locais onde semáforos estiverem presentes, observe a luz que controla o tráfego da via e aguarde o sinal verde para movimentar o veículo.

 

Condições de pavimento geram inúmeras situações de risco

As condições da via podem aumentar as chances de ocasionarem acidentes, sem sombra de dúvidas! Ondulações, buracos, inclinações e outras alterações podem desestabilizar o veículo, fazendo com que o condutor perca o controle dele.

Ao visualizar estas condições, reduza a velocidade e evite acionar os freios durante a passagem por buracos, pois isto pode aumentar o desequilíbrio do veículo.

 

Iluminação 

A falta ou excesso de iluminação pode elevar os riscos no trânsito. Ver e ser visto é a forma mais eficiente de ter uma condução segura. Por isso, o uso de luz baixa é obrigatório durante o dia e durante a noite!

Além disso, mantenha os faróis sempre regulados, em perfeito funcionamento e utilize-os de forma correta, respeitando o manual do veículo e as legislações vigentes.

 

Trechos escorregadios

Condições como água, óleo, barro e areia na via podem alterar o atrito do pneu com o solo, causando derrapagens e descontrolando o veículo.

Nestes casos, fique atento às condições da via, diminua a velocidade, evite freadas ou mudanças bruscas de velocidade. Isso ajuda a evitar o descontrole do veículo.

 

Como dirigir em situações de risco que envolvem o ambiente/clima

As condições climáticas e naturais podem afetar a segurança no trânsito e causar também situações de risco. Elas são imprevisíveis, sendo extremamente necessário que o condutor mantenha atenção redobrada. Dentre as mais comuns podemos citar:

 

Chuva

A chuva pode diminuir a visibilidade do condutor, além de deixar a pista escorregadia. A presença de impurezas, como, por exemplo, óleo e areia na pista, tornam a via ainda mais escorregadia, precisando que o condutor fique alerta.

Nestas situações é preciso redobrar o cuidado, diminuir a velocidade, manter a luz do farol baixa e manter uma distância segura maior do veículo da frente.

Além disso, é preciso manter os pneus do veículo em boas condições para evitar a perda de aderência entre ele e o solo.

 

Neblina

No caso de presença de neblina, manter a luz baixa acesa é a melhor escolha, isto porque a luz alta reflete luz nas partículas de água e reduz ainda mais a visibilidade. Além disso, manter uma distância considerável do veículo da frente e reduzir a velocidade são ações indicadas. 

 

Aquaplanagem

A água acumulada na pista pode ocasionar o que chamamos de aquaplanagem. Nesses casos, o pneu perde a aderência com o solo e o carro flutua sobre a água, provocando a perda parcial ou total do controle do veículo.

Para evitar este fenômeno, o condutor deve ficar atento aos locais com acúmulo de água e reduzir a velocidade antes de chegar a região empoçada. Quando o veículo já estiver sobre uma poça de água, o condutor deverá evitar utilizar os freios, e somente segurar a direção com força para que o veículo se mantenha sob controle.

 

Luz

A intensidade de luz presente – seja artificial ou natural- pode interferir na capacidade do condutor de ver e ser visto. A luz em excesso ofusca a visão e pode ocasionar um acidente.

Diante disso, sempre que você avista um outro veículo, acione a luz baixa para que ela não atrapalhe a visão do outro condutor. Além disto, ao avistar um condutor que transita com luz alta, pisque os faróis rapidamente para advertir o condutor. 

Contudo, caso a situação de luz alta permaneça, ao cruzar com ele, volte a visão para o lado direito do acostamento, esquivando-se do feixe forte de luz. Para motociclistas e veículos de duas rodas que transitam em horários com bastante incidência de luz, uma dica é usar óculos escuros e viseiras que filtram a luminosidade.

 

Para completar…

Estas são algumas entre muitas outras situações que podem acontecer no dia a dia de um condutor. No entanto, todas elas demandam atenção e principalmente, conhecimento em ações que possam diminuir ou evitar acidentes.

É preciso ficar atento às práticas defensivas, as sinalizações, as leis e as boas práticas no trânsito. Desta forma, cada um fazendo a sua parte, é possível conviver com um trânsito mais seguro!

Conhecimento e prática nunca são demais. Se você está se preparando para tirar sua primeira CNH ou se já é motorista, saber como se comportar em situações de risco é essencial para a segurança de todos! Coloque seus novos conhecimentos em prática!